Pesquisar este blog

domingo, 31 de maio de 2020

D. IRINÉA, UMA SANTA MULHER!

D. Irinea em foto de Eurly
Quatro anos e meio depois, o falecido, Edson Alkmim da Cunha, não suportou a ausência e pediu autorização para buscar, na terra, sua dileta esposa e santa mulher: D. Irinéa Tavares da Cunha, nascida em Correntina/BA; saiu do convívio dos filhos, dos netos e dos amigos para partir e juntar-se ao marido numa outra vida, a espiritual, que tão bem eles cultuavam, nas igrejas e na ajuda às pessoas que necessitavam dos bens materiais e espirituais.

Naquele mês de novembro/2015, em Ilhéus, onde eu estava, escrevi:

"Edson Alkmim sempre esteve perto de uma esposa, que é a figura de uma santa, na terra: Irinéa. Sem se adentrar pelo campo político tratava com amabilidade incomum os amigos políticos de seu marido. Senhora respeitada e prendada, como professora e como mulher digna, fiel e companheira inseparável. Um mereceu ao outro, mas não se sabe quem emoldurou quem, pois o que foi, possuía e a que fica possui religiosidade, caridade, bondade e compreensão singular".

Faleceu D. Irinéa!

Há pessoas que marcam, para todo o sempre, nossas vidas; na minha existência, o Sr. Edson e D. Irinéa deixaram sinais indeléveis, que perduraram com o passar do tempo. Na educação, na conduta como homem e mulher, na religiosidade e na afeição que devotavam aos amigos. D. Irinéa foi uma mulher, festejada por onde andou; na terra onde viveu, Santana, Oeste da Bahia, conquistou fieis admiradores, na terra onde morreu, Paróquia de Sant'Ana, em Salvador, cativou sinceros amigos.

Uma santa mulher é a definição que escrevi em 2015 e reafirmo nesse dia triste por ter perdido mais uma pessoa de referência na minha vida. D. Irinéa: mãe de 13 filhos, esposa venerada pelo marido, pelos filhos e pelos netos, reverenciada pelos alunos, soube viver com muita fé e devoção à Igreja que tanto ela ajudou. Com o esposo construíram, em Santana, a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, administrada pelas Filhas de Fátima.

Professora do Educandário Diocesano Santana, possuidora de simpatia contagiante, na minha turma, terceiro ano ginasial, ensinava a matéria "Canto Orfeônico", hoje aula de música. Lembro-me perfeitamente dela passando pela entrada do Educandário, dobrando para a direita e dirigindo-se para a terceira sala, onde seus alunos aguardavam-na ansiosos pelos ensinamentos daquela matéria diferente, exposta por uma mestra de fala leve e simpática.

A mestra deixava fluir, em espontânea simplicidade e segurança, os tons nas aulas que ministrava: dó, ré, mi, fá, sol...

D. Irinéa era frequentadora assídua da Igreja de Sant'Ana, em Santana, e da Igreja de Sant'Ana, em Salvador. Em Santana, ou onde estejam seus ex-alunos, a perda dessa santa mulher traz lembranças que não mais se consagram nos tempos atuais; as Filhas de Fátima, com certeza, amarguram o desaparecimento da devota de Fátima.

Dizia eu em 2015: "chorei a morte do meu professor, do meu amigo, de um homem que nunca vi destratando seu semelhante; sinto, principalmente, porque, fora da cidade onde morreu, não pude acompanhar, como fizeram muitos dos seus amigos, a despedida para a morada eterna".

E hoje o que digo: não escondo minha fraqueza, mas na redação desta matéria, parei e chorei, pois também não pude acompanhar a despedida desta santa mulher.

A morte dessa santa mulher não teve despedida, face a singularidade do seu desaparecimento; o vírus invisível, traiçoeiro e destruidor não poupou nem a vida de D. Irinéa!

Fecham-se as cortinas e desaparece uma Santa Mulher: D. Irinéa!

Salvador, 31 de maio de 2020.

Antonio Pessoa Cardoso
Pessoa Cardoso Advogados.

19 comentários:

  1. Mulher de coração bom.deixa saudades !!!

    ResponderExcluir
  2. Tive a sorte de conheceê lá . A maneira de conversar,nos transmitia paz!!!

    ResponderExcluir
  3. Uma senhora de grande personalidade e caráter.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Que texto lindo e emocionante! Com certeza Deus a recebeu de braços abertos. Deixo aqui meus sentimentos para toda família.

    ResponderExcluir
  5. Uma mulher sábia e de muita fé. De dosses e acolhedora palavras. Deixa saudade e acima de tudo muitos ensinamentos.

    ResponderExcluir
  6. Texto muito lindo! A gratidão e sinceridade expressada nele demonstra a grandiosidade que ela. Jesus a abençoe!

    ResponderExcluir
  7. Texto de muita qualidade recheado de gratidão, reconhecimento, sentimento de perda. Deus receba Dona Irineia nas Graças do Pai, conforte a Família e dos Amigos. Estará Nos abençoando.

    ResponderExcluir
  8. A FAMÍLIA FRANÇA, expressa sentimentos de dor neste momento.

    ResponderExcluir
  9. Descanse em paz 🙏 Dona Irinéria.

    ResponderExcluir
  10. Descanse em paz a senhora merece pois so plantou o bem por onde passou e deixou saudades.D Irineia pessoa muito amada!!!

    ResponderExcluir
  11. Texto lindo e emocionante. Deus dê conforto à família. Descanse em paz, Santa mulher de Deus. Amém.

    ResponderExcluir
  12. ALBERTO JOAO DA CRUZ1 de junho de 2020 16:44

    Tive a felicidade de conviver com o simpático casal no grupo de Encontro de Casais com Cristo da paróquia de Santana, lembro Edson tocando violão e Irineia cantava maviosamente os canticos da Liturgia. Parabéns a Dr Antonio Cardoso pela excelente cronica. Nossas condolências à familia

    ResponderExcluir
  13. Me lembro de dona Irinéia. Uma pessoa que foi muito querida em Santana, uma plena e amorosa para com cada um que fosse ao encontro dela , saudades eterna dona Irinéia. Que Deus te acolha em seus braços.

    ResponderExcluir
  14. nos da família tiao barbeiro filhos de Santana sentimos muito essa perda.que a sua alma encontra Deus temos muito respeito por essa família Alkmin .meus sinceros sentimentos .um confortável abraço a família. Bona Irineia fez parte da minha infância cresci em Santana ouvindo esses nomes Sr Edson dona Irineia.vai com Deus.

    ResponderExcluir
  15. Guardo com carinho e admiração as boas lembranças do casal: Dona Irinéa, minha professora no 1° ano primário; senhor Edson meu professor no 1° ano ginasial.
    Parabéns Dr. Antonio P. Cardoso, pelo excelente texto.

    ResponderExcluir